LINHA EDITORIAL | EDIÇÕES ANTERIORES | EXPEDIENTE | NORMAS DE PUBLICAÇÃO | CONTATO 

 HISTÓRIA | SÉRIE ANTIGA

 
 
VOLUME 3, NÚMERO 3 - DEZEMBRO DE 2017
 
 

DOWNLOAD DA
EDIÇÃO COMPLETA


REVISTA HÉLADE
ISSN: 1518-2541
ANO 3, VOLUME 3, NÚMERO 3
DEZEMBRO DE 2017.

 

A responsabilidade pelas opiniões emitidas, pelas informações e ideias divulgadas são exclusivas dos autores.

 

EDITORES
Alexandre Santos de Moraes
Adriene Baron Tacla
Alexandre Carneiro C. Lima

ASSISTENTES DE EDIÇÃO
 Thaís Rodrigues dos Santos
Geovani dos Santos Canuto
Beatriz Moreira da Costa

CONSELHO EDITORIAL
Ana Livia Bomfim Vieira
Ana Teresa Marques Gonçalves
Claudia Beltrão da Rosa
Fábio Faversani
Fábio de Souza Lessa
 Gilvan Ventura da Silva
 José Antônio Dabdab Trabulsi
Maria Beatriz Borba Florenzano
Monica Selvatici
Pedro Paulo de Abreu Funari

CONSELHO CONSULTIVO
Álvaro Alfredo Bragança Júnior
Alvaro Hashizume Allegrette
Antonio Brancaglion Júnior
Andrés Zarankin
Barry Cunliffe
Elaine Hirata
Elif Keser Kayaalp
Fábio Duarte Joly
João Lupi
Luciane Munhoz de Omena
Lynette G. Mitchell
Márcia Severina Vasques
Maria Aparecida de Oliveira Silva
Margarida Maria de Carvalho
Maria Cristina N. Kormikiari Passos
Maria de Fátima Sousa e Silva
Maria Isabel d’Agostino Fleming
Philipp W. Stockhammer
Renata Senna Garraffoni
Violaine Sebillotte Cuchet
Wolfgang Meid

EDITORIAL

Hélade: primeiro triênio da nova série
Alexandre Santos de Moraes
Thaís Rodrigues dos Santos
 
TEMA LIVRE
O feminino como 'outro': uma abordagem acerca da alteridade na Antiguidade Grega
Talita Nunes Silva Gonçalves

Resumo: O presente artigo visa fazer uma breve discussão sobre o conceito de alteridade e seu uso nas pesquisas referentes a antiguidade grega para posteriormente abordar a construção da identidade helênica e, mais especificamente, a do cidadão ateniense por meio da contraposição com o feminino.
Palavras-chave:
Identidade, alteridade, cidadão, Atenas, feminino.

Abstract: The present article aims to make a brief discussion about the concept of alterity and its use in researches concerning Greek antiquity to later address the construction of the hellenic identity and, more specifically, that of the athenian citizen through the opposition with the feminine.
Keywords: Identity, alterity, citizen, Athens, feminine.
 

Golpe, stásis e metabolé: critérios conceituais para rupturas políticas e institucionais na aristotélica Constituição dos Atenienses
Dênis Renan Corrêa

Resumo: O artigo aborda o vocabulário e a estrutura de referências sobre rupturas políticas e institucionais na aristotélica Constituição dos Atenienses com o intuito de problematizar a ideia de golpe jurídico-parlamentar contra a presidente brasileira Dilma Roussef em 2016 e os imbróglios éticos e conceituais desde tipo de mudança política. O texto discute o vocabulário antigo especialmente no contexto ateniense com ênfase no pensamento político de Aristóteles.
Palavras-chave: Constituição dos Atenienses, golpes de Estado, rupturas políticas.

Abstract: The paper approaches the vocabulary and the structure of references about political and institutional ruptures in the Aristotelian Athenian Constitution in order to problematize the idea of legal and parliamentary coup against the Brazilian president Dilma Roussef in 2016 and the ethical and conceptual imbroglio of such kind of political change. The text discusses the ancient vocabulary especially in the Athenian context and emphasize Aristotle’s political thought.
Keywords: Athenian Constitution, Coup d’état, political overthrow.

Muerte e inframundo en la Antigua Roma: inmortalidad y eterna memoria
Julio López Saco

Resumen: Los mitos de origen griego vinculados con la muerte, así como los deseos de alcanzar la inmortalidad y una nueva vida en el Más Allá a través de la eterna perduración del alma, impregnaron la imaginación religiosa romana. Con posterioridad a la muerte, el ser humano se transformaba en una serie de entidades (lemures, manes, larvae, penates, lares) de no siempre fácil identificación. Desde la óptica romana la muerte requería una serie de honores funerarios bien establecidos para evitar la conversión del fallecido en un fantasma sin descanso y para, de ese modo, apaciguar los componentes malignos o negativos. En la antigua Roma la muerte era un acto social que, en cuanto a los lugares de inhumación, modos de celebración y cultos, no igualaba a los fallecidos, existiendo notables diferencias según la condición social o el estatus del muerto.
Palabras Clave:
Muerte, inframundo, rito, culto.

Abstract: The myths of origin Greek linked with the death, as well as wishes of achieve the immortality and a new life in the more beyond through the eternal endurance of the soul, permeated the imagination religious Roman. After death, the human turned into a series of entities (lemurs, lares, manes, larvae, penates) not always easy to identify. From the Roman standpoint death required a series of well-established funeral honors to prevent the conversion of the deceased in a ghost without a break and to, thereby, appease the evil or negative components. In ancient Rome the death was a social event which, in terms of the places of burial, ways of celebration and worship, not equal to the deceased, there are notable differences according to social condition or the status of the dead.
Keywords: Death, underworld, ritual, cult.
 

Esconder os corpos e os crimes: o mar como um lugar de não-retorno
Camila Alves Jourdan
Resumo: O poder do mar pode ser compreendido em sua capacidade de submersão, em sua imensidão e vastidão, em sua profundidade e seu constante movimento. Estas cinco características atribuídas por Astrid Lindenlauf (2003), em seu estudo sobre o mar como um lugar de não-retorno, nos possibilita perceber as potencialidades do mar na atuação do desaparecimento e/ou no encobrimento de rastros indesejados. Deste modo, pretendemos neste artigo analisar passagens que nos permitam elucidar a relação de ações consideradas vergonhosas/criminosas pela sociedade helênica com o mar, em obras textuais dos períodos arcaico e clássico e representação imagética.
Palavras-Chave: Mar, desaparecimento, crimes.
 
Abstract: The power of the sea can be understood in its submersion capacity, in its immensity and vastness, in its depth and its constant movement. These five characteristics ascribed by Astrid Lindenlauf (2003), in their study of the sea as a place of “no-return”, enable us to perceive the potentialities of the sea in the disappearance and / or cover-up of unwanted traces. Thus, we intend in this article to analyze passages that allow us to elucidate the relation of actions considered shameful / criminal by Hellenic society with the sea, in textual works of the archaic and classic periods and imagery representation.
Keywords: Sea, disappearance, crimes.
A Etnicidade na sala de aula: o uso de adaptações de Clássicos da Antiguidade
Renata Cardoso de Sousa
Resumo: Propomos pensar como é possível trabalhar o tema da etnicidade e do etnocentrismo na sala de aula a partir do uso de adaptações de clássicos da Antiguidade. Para tal, primeiramente, é necessário estabelecer alguns critérios para a utilização dessa literatura, que ainda gera debates acerca da sua proficuidade, bem como conceituar a etnicidade. Partiremos dos conceitos de etnicidade (proposto por Fredrik Barth) e identidade-alteridade (de Marc Augé), para depois nos debruçarmos sobre propostas de trabalho com algumas adaptações selecionadas.
Palavras-chave: Ensino de História, adaptações literárias, etnicidade.
 
Abstract: We propose to think how to enter the ethnicity and ethnocentrism theme in classrooms, by using adaptations of the Antiquity classics. To accomplish this aim, it is necessary to establish some criteria to use this kind of literature, which still generates debates on its profitability, as well as to define ethnicity. We will start with the following concepts: ethnicity (as Fredrik Barth pointed it) and identity-otherness (as Marc Augé does), in order to propose some activities with selected adaptations.
Keywords: History Teaching, literary adaptations, ethnicity.
Competição, cooperação, conflito e negociação: as tensões ético-políticas entre Aquiles e Agamêmnon na Ilíada
Alexandre Santos de Moraes
Resumo: O objetivo desse artigo é observar as tensões entre Aquiles e Agamêmnon através do binômio conceitual competição/cooperação. Busca-se entender não apenas as variáveis dessa oposição, mas também como as ideias de competição e a cooperação que se instauram ao longo da querela sugere um modo de ser ético-político que distingue os heróis.
Palavras-Chave: Competição, Cooperação, Aquiles, Agamêmnon, Ilíada.
Abstract: The aim of this article is to observe the tensions between Achilles and Agamemon through the conceptual bionmial competition/cooperation. It’s intend not only understand the variables of this opposition, but also how the ideas of competition and cooperation sets a quarrel and suggest an ethicalpolitical way of being that distinghishes those heroes.
Keywords: Competition, Cooperation, Achilles, Agamenon, Iliad.
 
A reorganização territorial ática sob Clístenes: a democracia como enfraquecimento dos poderes parente-aristocráticos
Bruno D’Ambros

Resumen:  Mostramos neste artigo que a democracia grega nasceu efetivamente com a reorganização territorial ática de Clístenes em 508 a.C., através do enfraquecimento dos genoi e phratriai em prol dos demoi. A democracia, assim, desde seu surgimento, parece ter sido uma tentativa de solução para o problema semelhante do conflito entre a distribuição de poder local e regional.
Palabras clave: Clístenes, Democracia, Grécia antiga, Oligarquias.

Abstract:  We show in this article that Greek democracy was actually born with the Attic territorial reorganization of Clístenes in 508 b.C., through the weakening of the genoi and phratriai in favor of the demoi. Democracy, then, since its inception, seems to have been an attempt to solve the similar problem of the conflict between the distribution of local and regional power.
Keywords: Cleisthenes, Democracy, Ancient Greece, Oligarchies.

Trabalho feminino na Hispânia Romana: preconceitos e resgates
Paulo Pires Duprat

Resumo:  Muito se escreveu sobre gênero no mundo romano. Não obstante, algo parece estar faltando: a parte que cabe às mulheres na produção econômica desta sociedade. Passado, presente ou futuro, as mulheres constituem, no mínimo, metade da população ao redor do globo, uma força de trabalho imprescindível, seja em sociedades antigas ou modernas. Sabemos que, desde o começo dos tempos, a maioria das mulheres foi submetida ao trabalho duro, sob a forma de tarefas cansativas e repetitivas, impostas de forma arbitrária. Tais atividades começavam ainda na infância e jamais receberam o devido reconhecimento. O objetivo deste trabalho é, portanto, resgatar o papel do trabalho das mulheres nas economias da Hispânia romana, com especial atenção ao caso de Tarraco, entre finais da República até o Principado, levantando subsídios locais e alhures para demonstrar a parte que coube às mulheres na produção econômica da sociedade romana.
Palavras-chave: Estudos clássicos, Economia romana, Trabalho feminino, Estudos de gênero, Pós-modernismo.

Abstract: Much ink has been spilled about gender in the Roman world. Nonetheless, something seems to be lacking: the part that is up to the women in economic production of this society. Past, present or future, women constitute at least half the population around the globe, an indispensable working force, either in ancient or modern times. We know that since the beginning of the ages, most women were forced to work hard in tedious and repetitive tasks arbitrarily imposed. The activities used to start as early as childhood and it had never been properly recognized. The aim of this work is, therefore, to recover the role of the women’s work in the economies of Roman Hispania, with special attention to the case of Tarraco, starting from the end of the Roman Republic until the Principate Period, raising local and elsewhere evidence to show the position women deserve in the economic production of Roman society..
Keywords: Classical studies, Roman economy, Women’s work, Gender studies, Postmodernism.


 
 
 
 
 
   

NEREIDA - Núcleo de Estudos de Representações e de Imagens da Antiguidade
Campus do Gragoatá - Rua Prof. Marcos Waldemar de Freitas Reis, Bloco O, sala 507
24210-201 - Niterói - RJ
nereida@vm.uff.br