LINHA EDITORIAL | EDIÇÕES ANTERIORES | EXPEDIENTE | NORMAS DE PUBLICAÇÃO | CONTATO 

 HISTÓRIA | SÉRIE ANTIGA

 
 
VOLUME 2, NÚMERO 1 - AGOSTO DE 2016
 
 

DOWNLOAD DA
EDIÇÃO COMPLETA


REVISTA HÉLADE
ISSN: 1518-2541
ANO 2, VOLUME 2, NÚMERO 1
AGOSTO DE 2016.

 

A responsabilidade pelas opiniões emitidas, pelas informações e ideias divulgadas são exclusivas dos próprios autores.

 

EDITORES
Alexandre Santos de Moraes
Adriene Baron Tacla
Alexandre Carneiro C. Lima

ASSISTENTES DE EDIÇÃO
 Thaís Rodrigues dos Santos
Geovani dos Santos Canuto

CONSELHO EDITORIAL
Ana Livia Bomfim Vieira
Ana Teresa Marques Gonçalves
Claudia Beltrão da Rosa
Fábio Faversani
Fábio de Souza Lessa
 Gilvan Ventura da Silva
 José Antônio Dabdab Trabulsi
Maria Beatriz Borba Florenzano
Monica Selvatici
Pedro Paulo de Abreu Funari

CONSELHO CONSULTIVO
Álvaro Alfredo Bragança Júnior
Alvaro Hashizume Allegrette
Antonio Brancaglion Júnior
Andrés Zarankin
Barry Cunliffe
Elaine Hirata
Elif Keser Kayaalp
Fábio Duarte Joly
João Lupi
Luciane Munhoz de Omena
Lynette G. Mitchell
Márcia Severina Vasques
Maria Aparecida de Oliveira Silva
Margarida Maria de Carvalho
Maria Cristina N. Kormikiari Passos
Maria de Fátima Sousa e Silva
Maria Isabel d’Agostino Fleming
Philipp W. Stockhammer
Renata Senna Garraffoni
Violaine Sebillotte Cuchet
Wolfgang Meid

EDITORIAL

Jogos Olímpicos e Além
Olympic Games and Beyond
Prof. Dr. Alexandre Santos de Moraes
Prof. Dr. Fábio de Souza Lessa
 
DOSSIÊ - JOGOS, DESPORTO E PRÁTICAS CORPORAIS NA ANTIGUIDADE
Figuras de atletas e a noção de representação nas ânforas panatenaicas
Athletes Figures and the concept of representation on the Panathenaic Amphora
Prof. Dr. Gilberto da Silva Francisco

Resumo: Este artigo discute a noção de representação presente na figuração atlética das ânforas panatenaicas e seu tratamento pela bibliografia especializada. A partir da identificação de um cenário que não reflete mais criticamente elementos essenciais da leitura iconográfica, propõe-se, aqui, alguns pontos para a reflexão quanto ao uso desse tipo de informação como documento para a compreensão de práticas atléticas na antiguidade. São eles, (a) a relação entre o repertório figurativo especificamente ático e sua projeção para a interpretação de práticas no mundo grego, (b) o grau de iconicidade relacionado a essas figuras e (c) a interferência dos elementos formais próprios da produção no contexto das oficinas ceramistas áticas.
Palavras-chave:
Ânforas Panatenaicas, Iconografia Atlética, Representação, Iconicidade.

Abstract: This paper discusses the notion of representation in the Panathenaic amphoras’s athletic figures, and its manipulation by the specialized bibliography. After detecting a noncritical scenario concerning important elements to the iconographic approach, this paper proposes to reflect on the use of this kind of information as a source to understanding athletic practices in Antiquity: (a) the relationship between specifically Attic figurative repertoire and its use to interpretations of practices in the ancient Greek world; (b) the degree of iconicity related to these figures; and (c) the interference of formal elements specific to the Attic pottery workshop context.
Keywords: Panathenaic Amphoras; Athletic Iconography; Representation; Iconicity.

O Santuário de Olímpia, o culto de Zeus Olímpio e os Jogos a partir de uma revisão historiográfica
The Sanctuary of Olympia, the cult of Zeus Olympios and the Olympic Games from a historiographic review
Profa. Dra. Lilian de Angelo Laky

Resumo: Tem sido aceito que a instituição dos jogos em Olímpia ocorreu, entre outros fatores, em razão do prestígio alcançado pelo oráculo de Zeus Olímpio durante o século VII a.C., o qual teria pedido a celebração de um ritual mais solene com a realização de uma grande festa que previa competições agonísticas em honra à divindade (Taita, 2007, p. 106). Trata-se do período também da instalação do primeiro estádio. As competições atléticas foram parte do processo que levou à consolidação de Zeus Olímpio como uma divindade militar a partir da época arcaica, como demonstra a inter-relação entre atletismo e guerra na cultura grega antiga. Nesse artigo, apresentaremos um panorama acerca do debate mais atual sobre o desenvolvimento das atividades religiosas no santuário de Olímpia (com destaque ao culto de sua principal divindade, Zeus Olímpio) e sua inter-relação com as práticas agonísticas, os grupos políticos e suas comunidades até a época clássica (com ênfase no século V a.C.).
Palavras-chave:
Olímpia; Zeus Olímpio; jogos olímpicos.

Abstract: It has been accepted that the institution of the agones in Olympia occurred, among other factors, due the prestige achieved by the oracle of Zeus Olympios during the 7th century BC, which would have led the celebration of a more solemn ritual (a great festival) which included agonistic competitions in honor to the deity (TAITA, 2007, p. 106). This period corresponds also to the installation of the first stadium. The agones were part of a process that led to the consolidation of Zeus Olympios as a military deity from the Archaic period, as demonstrates the inter-relationship between athletics and war in Greek culture. In this article, we will present an overview concerning the more recent debate on the development of religious activities in the sanctuary of Olympia (with emphasis on the worship of its main deity, Zeus Olympios) and the inter-relationship with the agonistic practices, political groups and their communities until the Classical period (mainly the 5th century BC). 
Keywords:
Olympia; Zeus Olympios; Olympic games.

Jogos e espetáculos no Principado de Nero: o juízo de Tácito
Games and spectacles in the Principate of Nero: the judgement of Tacitus
Prof. Dr. Anderson Martins Esteves

Resumo: Neste artigo, procuro compreender como Tácito reflete sobre a política de oferecimento de espetáculos/jogos no principado de Nero. Após refletir sobre a função social dos jogos no sistema político do principado, seleciono excertos dos Anais, que se refiram aos espetáculos e proponho uma análise textual. Assim, busco demonstrar como os relatos sobre os jogos e demais espetáculos são usados como estratégias discursivas para caracterizar o imperador e sua interação com os vários grupos sociais. Como resultado da pesquisa, percebo que Tácito apresenta um retrato de Nero que, por um lado, corrompe cavaleiros e senadores, levando-os a participarem ativamente dos espetáculos e, por outro, pende para os desregramentos daquilo que qualifica de “plebe sórdida”.
Palavras-chave: Jogos; Nero; Tácito; Anais.

Abstract: In this article, I try to understand how Tacitus reflects on the politics of spectacles/games during the principate of Nero. After discussing the social function of games in the political system of the principate, I select passagens of the Annals, wich refer to spectacles/games and then I propose a textual analysis. Thus, I aim to show how the reports of games and other spectacles are used as discursive strategies to characterize the emperor and his interaction with various social groups. As a result of this research, I realize that Tacitus presents a portrait of Nero, on the one hand, as a corruptor of knights and senators, causing them to actively participate in shows and, on the other , as prone to the excesses of what the writer qualifies as “sordid plebs”.
Keywords:
Games; Nero; Tacitus, Annals.

TEMA LIVRE
Arqueologia Semiótica e as artes no Principado: um estudo de caso do Fórum de Augusto e do Fórum de Augusta Emérita
Semiotic Archaeology and the arts in the Principate: a study of the Augusto's Forum and the Augusta Emérita's Forum
Profa. Dra. Airan dos Santos Borges
Prof. Doutorando Thiago de A. L. C. Pires

Resumo: Pretende-se, com este artigo, apresentar algumas análises inicias sobre uso da arte decorativa em monumentos romanos durante o Principado. Para tanto, exploraremos o uso artístico da figura mítica de Enéias no Fórum de Augusto, em Roma, e no Fórum de Augusta Emérita, utilizando os pressupostos da arqueologia semiótica para investigarmos quais vetores de discurso uniam territórios tão distantes. .
Palavras-chave:
Principado Augustano, Arte romana, Arqueologia semiótica, Augusta Emérita.

Abstract: It is intended with this article present some initial studies on the use of decorative art in Roman monuments during the Principate. For this purpose, the artistic usage of the picture is being explored the artistic use of the mythical figure of Aeneas in the Augustus`s forum in Rome and in Augusta Emerita`s Forum, using the assumptions of semiotics archeology to investigate which speech vectors united as distant territories.
Keywords:
Augustan Principate, Roman art, Semiotic archaeology, Augusta Emerita.

Iconografía africana en la pintura vascular de la antigua Grecia: ¿indicios de un prejuicio étnico- cultural?
African Vascular Painting of the Ancient Greece Iconography: evidence of an ethno-cultural prejudice?
Prof. Dr. Julio López Saco

Resumen: Un análisis de la figuración humana no griega, en este caso africana, en la pintura vascular arcaica y clásica, permite desentrañar ciertos condicionantes antropológicos y sociológicos presentes en la mentalidad helena. El estudio de esta imaginería de raigambre africana persigue el propósito de observar si en el marco de una visión culturalista, centralista y exclusivista griega en referencia al otro, al bárbaro, al que se encuentra allende de la cultura, el orden y la civilización, pudieran derivarse prejuicios étnico-culturales y de estatus social. Existió, parece claro, un reconocimiento de la diferencia, étnica, incluso de la particular condición social, y en ello va implícito cierto grado de superioridad cultural. Sin embargo, no es del todo evidente, en función de los indicios vasculares, una presencia consciente en la mentalidad del griego de la antigüedad, de un prejuicio sustentado en el color de la piel.
Palabras clave:
Figura humana; Pintura vascular; etnia; África.

Abstract: An analysis of the human figuration not Greek, in this case African, in archaic and classical vascular painting, allows unravel certain conditions anthropological and sociological present in Greek mentality. The study of this imagery of African roots pursues the purpose of observing if within the framework of a vision culturalist, centralist and exclusive Greek in reference to each other, the barbarian, which is beyond culture, order and civilization, may derive social status and ethnic prejudices. Existed, it seems clear, a recognition of the difference, ethnic, even of particular social status, and this is implicit degree of cultural superiority. However, it is not quite clear, according to the vascular indications, a conscious presence in the minds of Greek Antiquity, a prejudice based on skin color.
Keywords:
Human figure; Vascular painting; Ethnic group; Culture; Africa.

Entre a virgem e o hóplita: o feminino e seus valores guerreiros em Eurípides
Between the virgin and the hoplite: the female gender and its' warriors values in Euripides
Profa. Doutoranda Bruna Moraes da Silva

Resumo: Propomos, no presente artigo, analisar a relação entre o gênero feminino e o código de conduta guerreiro do Período Clássico (séculos V e IV a.C.) grego. Faremos essa análise a partir da comparação entre os ideais hoplíticos, masculinos por excelência, e aqueles representados na personagem Macária, presente na obra Os Heráclidas, de Eurípides.
Palavras-chave:
Feminino, código de conduta guerreiro, Eurípides.

Abstract: We propose, in this paper, to analyse the relationship between de female gender and the warrior code of conduct on the Classical Period (VIV centuries b.C.) of Greek antiquity. We will do this analysis through the comparasion between the hoplitic ideals, male par excellence, and those represented by the characters Macaria, presente in the work Heraclidae, of Euripides.
Keywords:
Feminine, warrior code of conduct, Euripides.



PRÓXIMO DOSSIÊ
Volume 2, Número 2
Religiões no Mundo Antigo
Organizadora: Cláudia Beltrão

O próximo número da Revista Hélade publicará o dossiê Religiões no Mundo Antigo, no qual as religiões antigas serão entendidas como um spectrum de ações, crenças, experiências, conhecimentos e comunicações com seres e agentes super-humanos, incluindo, mas não se limitando a “deuses”, “demônios”, “anjos”, “heróis” e outras personagens transcendentes. A ritualização e as elaboradas formas de representação e apresentação dessas ações e experiências e desses seres e agentes são um tema de pesquisa atual para diversos ramos especializados em regiões, épocas, tradições e corpora documentais particulares.

A institucionalização da religião, assim como os papéis religiosos profissionalizados (e.g., em sacerdócios); a construção da religião como conhecimento; os rituais como produtos de contextos históricos e sujeitos à mudança, como testemunhos de tensões sincrônicas e/ou diacrônicas; os espaços das experiências religiosas, compartilhados por indivíduos ou grupos em santuários públicos ou privados, ou o espaço móvel dos festivais e procissões; o espaço religioso virtual da comunicação literária e os discursos intelectuais sobre a religião; os diferentes modos de apropriação das religiões, de comunicação com o “outro” invisível, representado ou epifânico; rituais e performances e sua relação com o corpo, em que movimentos e gestos são elementos fundamentais na percepção e estruturação de mundos religiosos; as imagens de deuses e de rituais e a criação de sentimentos e conhecimentos compartilhados, criando regimes de visualidade, esses são alguns temas que interessam ao dossiê. As tradições e experiências religiosas gregas, romanas, judaicas, púnicas, célticas, egípcias, chinesas, cristãs, dentre outras, podem ser vistas como culturas religiosas criadas pelas interações interpessoais e intergrupais, pela imitação, apropriação de gestos, imagens e conhecimentos que criam comunidades fundamentadas em memórias compartilhadas, sempre sujeitas a mudanças. A intenção de reunir “religiões” diversas, especialistas, disciplinas e enfoques variados visa ao cruzamento ou à redefinição de fronteiras disciplinares e convida ao engajamento com discussões contemporâneas nos campos dos estudos das religiões e das ciências humanas e sociais.

Quatro eixos temáticos são sugeridos:
1. Imagens de culto: presença e construção visual do divino.
2. Dinâmicas religiosas no mundo antigo: comunidades, práticas e discursos religiosos.
3. Paisagens religiosas: mitos, rituais e lugares de culto na construção de experiências religiosas.
4. Questões de método: pensar o divino, pensar o religioso no mundo antigo.

Os interessados poderão enviar suas contribuições até o dia 10 de outubro de 2016 para o e-mail revistahelade@gmail.com.

 

 
 
 
   

NEREIDA - Núcleo de Estudos de Representações e de Imagens da Antiguidade
Campus do Gragoatá - Rua Prof. Marcos Waldemar de Freitas Reis, Bloco O, sala 507
24210-201 - Niterói - RJ
nereida@vm.uff.br